Compartilhe



Já havia divulgado a alguns posts anteriores que ganhei o livro “Rede de Sonhos” de Felipe Pan na promo do CT. E aqui estou eu para colocar minha segunda resenha no blog, já que terminei a leitura. Demorei um pouco mais além da conta, mas o livro poderia ser lido em um ou dois dias, dependendo do quão forte é o apetite de um leitor. Mas vamos a resenha:
 

Capa

   Primeiramente, o que mais me chamou a atenção no livro foi a capa logo que a vi em algum blog da internet. Foi uma arte muito bem feita e totalmente sincronizada com o enredo. A imagem do Arthur(protagonista) de olhos fechados, ou eu acho que seja, se não, é provavelmente algum outro usuário da Rede de Sonhos; os variados lugares que são abordados durante a trama; e claro, a figura misteriosa que é o personagem mais misterioso do livro.

Narrativa

   Algo a se destacar antes de ler o livro é o seu tamanho. Aproximadamente 200 páginas. Entretanto, o número de páginas reflete as características da obra, que devo dizer logo, trata-se de uma obra infanto-juvenil.

   Não espere uma escrita rebuscada, nem nada parecido. A composição é simples e flui muito bem. Com certeza, é uma narrativa mais direcionada para jovens adolescentes, pois contem palavras de vocabulário fácil e o livro inteiro pode ser compreendido sem precisar usar de um dicionário para aqueles termos que não estamos acostumados a ver.

   Particularmente, sou mais chegado a livros com maiores descrições, não tanto quanto o Senhor dos Anéis( que demorei 6 meses para ler), ou “O Pistoleiro” que mal comecei já parei, mas me agrada os parágrafos que captem com mais precisão todos os movimentos da cena. Rede de Sonhos é algo mais suave, e em apenas alguns casos demonstra alguma profundidade, de resto, a narrativa se dá de forma mediana no que diz respeito à profundidade.

   Porém, a forma de escrita escolhida pelo autor caiu muito bem com a história produzida. Pois como já disse, é especialmente direcionada para adolescentes, e vou deixar claro o porquê mais em breve. Este aspecto mediano de narrar a história serviu muito bem, pois deixou a leitura mais instigante e rápida, de modo que em pouco tempo já tomamos muito conhecimento dos eventos ocorridos. Portanto, dou um ponto positivo pela concordância entre a história e a forma como ela é contada.

Sobre a história

   O que me instigou além da belíssima capa a ler esse livro foi também a sinopse. No meu caso, ela me instigou completamente. E conforme fui lendo outras opiniões, aí sim que fiquei com mais vontade de ler.

   Assim que terminei os primeiros capítulos eu tinha uma certa opinião sobre o rumo do livro, mas conforme fui lendo mais e mais, notei que o livro não era nada do que esperava. Tenho que confessar que em certos pontos, esperaria um pouco mais, e a história como um todo, poderia também ter sido um pouco mais explorada. Mas acho que essa falsa idéia sobre o que viria no livro foi crucial, pois a cada capítulo acontecia algo inesperado. Foi assim que comecei a me apegar mais.

   O ponto alto do livro é certamente o universo da Rede de Sonhos. Me deu uma impressão de ser uma espécie de “internet fantástica”. Fiquei bem excitado ao saber que os personagens poderiam visitar muitos lugares e conhecer mais gente pelo mundo, de forma que todos pudessem se entender. Viajar pelo mundo como se estivesse no próprio mundo real seria realmente uma aventura fascinante e completamente viciante. Houve umas duas vezes em que li o livro antes de dormir. Me passou pela minha cabeça se poderia ter um sonífero naquela hora. E o engraçado é que bate realmente essa sensação, pois estava para fazer algo (dormir) que é uma passagem muito comum na história. Logo, aconselho a lerem o livro antes de dormir, principalmente os primeiros capítulos. É muito mais gostoso.

Desenvolvimento

   Por apresentar uma linguagem rápida, o desenvolvimento foi privilegiado. Algumas situações são inesperadas e ajudam a prender o leitor. O rumo que a história tomou a cada capítulo me agradou, e não vi algo que pudesse comprometer tanta o andamento dela. Exceto por algumas cenas cotidianas que tiverem pouca relevância para a história central, sendo mais direcionadas para tramas secundárias, mas ainda assim, que se mostraram demasiadas algumas vezes. Reflexo de ter puxado a vida pessoal do protagonista além de dar uma pincelada nas trivialidades da vida adolescente.

Personagens

   De certa forma, a maioria dos personagens teve um ponto positivo na história. O maior deles foi sem dúvida o melhor amigo de Arthur, que sempre era recorrido para decifrar alguns mistérios. Outros, porém, vieram só para encher algumas páginas, já que não interferiram tanto no centro do enredo.

   Um outro aspecto que achei falho foi a reação das pessoas quanto a Rede de Sonhos. Notei uma aceitação meio rápida por trás dos fatos da história, e alguns personagens não mostraram a reação que as características mostradas sobre elas deveriam apresentar. Achei um pouco desconexa essa relação entre a Rede de Sonhos e as pessoas alheias a ela.

   Existem dois personagens, além do Arthur e do Thiago, que gostei bastante. E são dois bem importantes no final da história; o tal ser da capa é um deles (o mais tocante de todos, em minha opinião).

Realidade x Fantasia

   Agora sim, chegando ao fator ápice da história. Quando disse que era uma história voltada para adolescentes não era pra menos, pois o protagonista nos faz embarcar em fatos que muitos jovens passam hoje em dia. Provas de escola, vestibular, namoros, preocupação com o futuro, gostos, e muitas outras coisas que fazem parte da vida de um adolescente.

   Acho que o maior mérito de “Rede de Sonhos” foi conseguir mesclar a realidade dos jovens com o enredo fantástico do livro. A combinação final foi algo marcante pra mim, que me vi em algumas situações semelhantes ao que o protagonista passou, e também me fez reviver alguns anos atrás de minha vida. Outras situações que de longe passaria perto me fez dar altas gargalhadas.

   Acho que por essa atitude do Felipe Pan em colocar lado a lado o gênero social e pessoal de um jovem com um mundo de fantasia, que este livro merece ser lido.

Curiosidades

   A literatura nacional de escritores atuais finalmente começou a andar nas escolas. Soube do próprio autor, numa postagem feita num tópico do fórum “Literatura de Fantasia” que duas escolas adotaram o livro. E a reação dos alunos foi excelente. São essas medidas que fazem os jovens se integrarem cada vez mais ao universo literário.


Conclusão

  Rede de Sonhos é uma ótima leitura e recomendada principalmente para o público juvenil. Porém, vale a pena ser lido por qualquer um, independente de sua idade.


Visite o site do autor: http://rededesonhos.blogspot.com/

Em breve o livro também estará no Acervo Fantástico Nacional

1 comentários:

Caio Murdock disse...

Interessante, mais tarde vou ler a postagem com mais calma. ^^