Compartilhe



Aqui estou eu para mais uma dica de sites.

 Procurando na internet um dia desses sobre o andamento de alguns live actions, como Death note e Cowboy Bebop, topei com um site inglês muito útil.

   Nele, você encontra várias informações sobre a produção de alguns filmes. Como os posts não são longos, você pode traduzir facilmente em algum tradutor na internet, como o Google Translate. 


   Agora descobri que os japoneses insistem em verificar minuciosamente o roteiro do Live action de Cowboy Bebop, tudo para garantir a mesma atmosfera do anime. Bom, melhor assim, ou veremos o mesmo resultado de Dragon Ball Evolution, que nem o Goku evoluindo para super-saiyajin ajudaria em alguma coisa. E ainda vai ter uma continuação!? Humpf, eu ainda vou fazer um post só pra massacrar esse filme.

   Quanto ao outro longa que queria saber era o Live Action de Death Note, mas parece que este vai demorar um loooongo tempo pra vir. Que lindo seria ver Zac Efroy dançando enquanto escreve em seu Deah Note. Francamente...


   Divergindo um pouco sobre os live-actions de mangás e animes, eu não acho que a versão cinematográfica fique verossímil. Primeiro, por causa do estilo de enredo e linguagem usada nas histórias, e mais ainda, talvez a mais importante, pelo menos na maioria de mangás e animes, o visual. Certamente, um fator marcante nessas histórias orientais são os traços dos personagens, bem como as roupas que usam, e o mundo em que estão inseridos.

   O que foi aquela versão americana do Goku? Onde está o Goku naquilo? Onde está Dragon Ball naquilo? Existem certos animes/mangás que não devem ser nem pensados em se fazer um filme de carne e osso. Claro que animes de outros gêneros e com um enredo que se encaixaria mais com o cinema hollywodiano cairiam bem. Como é o caso de Death Note e Cowby Bebop e muitos outros mangás que também dariam bom filme.

   Além disso, o fator cultural que é empregado em alguma dessas histórias, causa um contraste tremendo quando jogados para o ocidente. Portanto, o termo “americanizar” acaba por estragar qualquer bela obra oriental.




   O meu próximo post será o prólogo e o primeiro capítulo de Mundo Sombrio.

1 comentários:

Fernando disse...

Valeu pela dica de site. Realmente é bem interessante mesmo.