Compartilhe

Não sou o tipo de leitor que desiste de ler um livro até sua última página. Mesmo não achando tal leitura interessante e cativante, obrigo-me a ler até o final, esperando que aconteça algo de bom no enredo ou o surgimento de alguma reviravolta que compense todo o ritmo desgastante durante o desenvolvimento. No entanto, por mais que insistemos em nos arrastar na leitura, aquele ponto que poderia chamar nossa atenção e conservar nosso interesse sobre o livro não chega, e decidimos por fim, abandoná-lo. Mas este abandono pode ser caracterizado pelo livro ser ruim ou porque não atendeu às nossas expectativas?

Um erro muito comum que consideramos antes da leitura de um livro é se basear nas experiências de leitura de outra pessoa acerca deste livro. A situação fica ainda pior quando essa pessoa possui um gosto muito diferente do seu. A interpretação de uma obra é individual, por mais que ela apresente um significado óbvio e com poucas vertentes, nossa imagem a respeito dela se manifestará de um jeito bastante peculiar e pessoal. Vamos tomar o universo fantástico de Hogwarts, por exemplo. Cada leitor de Harry Potter tem sua visão pessoal com relação àquele universo, sendo ela íntima, mas no entanto, apresentando similitudes comuns que geram uma empatia entre cada imaginário.Os elementos de um livro vão se comunicar com o leitor numa relação que apenas ele e a tal arte terão conhecimento. Você poderá contar qual foi a sensação para as outras pessoas, mas o elo que você e o livro construíram nos momentos de leitura não pode ser traduzido fielmente com palavras, apenas revividos através de seus próprios sentimentos. 

Isso não quer dizer que devemos desconsiderar os argumentos positivos e negativos de uma obra, mas sim não aderirmos um juízo equivocado em algo que não avaliamos e analisamos. Se uma resenha demonstra aspectos negativos sobre um livro, não importando o quanto ela ilustre e aprofunde estes aspectos ruins, não devemos tomar aquelas afirmações como verdades irrefutáveis. O mesmo vale para uma resenha positiva de uma obra. Não saberemos se ela é realmente ótima se não a lermos. 

Quando navego pelo Skoob e vejo a quantidade de abandonos de um livro, não levo isto em consideração. Já ouvi algumas pessoas dizerem que, ao verem que muitos leitores abandonaram um livro ou até mesmo que este obteve uma avaliação negativa, desistiram de se aventurarem em suas páginas. Digo que isso é uma completa ignorância! Como exemplifiquei acima, cada livro atinge o leitor de determinada forma. Um livro pode despertar monotonia em alguém e enlevo em outro, é algo muito relativo. 

Há algumas semanas eu abandonei a leitura de "A teia de Luz", uma série composta por dois volumes da escritora "Marion Zimmer Bradley ", a mesma que escreveu a renomada série "Brumas de Avalon" - que eu ainda não li. Meu interesse pelo livro foi instigado muito mais pela fama da autora do que pela sinopse em si. Apesar de ser uma obra de Fantasia, gênero o qual sou aficcionado, o livro não me cativou em muitos aspectos. Em contrapartida, li algumas resenhas a respeito que demonstram que o livro possuí elementos apreciativos e que é considerada uma boa obra. Em suma, o que foi um livro ruim para mim, foi maravilhoso para outros. 

O ponto aonde quero chegar é: se você ouvir de uma pessoa que não gostou de tal livro, não tome o argumento dele como "certo". Procure sobre tal obra e faça você mesmo suas avaliações a respeito, se possível, lendo o livro. Pode ser que esteja perdendo uma ótima leitura, e isso pode ser realmente uma lástima, tanto para o leitor que nunca terá conhecimento de uma obra que lhe proporcionará algumas horas de deleite quanto para o escritor que terá menos um leitor para apreciar seu trabalho.   



2 comentários:

caio lucas disse...

Ótimo texto Luiz, concordo com seus argumentos. Você acaba se levando pela opinião de outros se privando de uma possível boa leitura! Dar uma boa olhada na obra e tomar suas próprias conclusões é sempre uma boa pedida!

Quanto ao abandono... Me parece ser bem próprio também. Percebo muitos dizerem que desistiram de tal leitura por ser lastimante, leituras até consideradas de um nível elevado. Culpam o livro mas não tem humildade de assumir que não tiveram boa vontade nem uma base cultural, que é praticamente indispensável para vários títulos.

Luiz Teodosio disse...

Sim, as pessoas possuem o péssimo costume de avaliar uma obra de um ponto de vista universal. "Se outros não gostam, eu também não devo gostar", esse é o pensamento da maioria.
Eu não digo que o livro é ruim, digo apenas que fico com o pé atrás para lê-lo quando a opinião geral é negativa, mas só saberei mesmo se é bom ou não é quando degustar algumas páginas.
Pena que nem todos pensam assim eu tiram conclusões equivocadas e sem qualquer embasamento crítico.