Compartilhe

Nossa, há quanto tempo não dou uma dica de anime aqui no blog, mais ou menos um ano. Não que eu não tenha assistido animes durante este longo período, mas acabei ficando agarrado aos animes de centenas de episódios e reprisando alguns outros. No entanto, assisti um chamado Darker Than Black, com uma trama bem interessante, porém um pouco confuso quanto a apresentação dos fatos. Aqui, você pode saber mais sobre ele.

 
O anime em questão é o conhecido, ou talvez nem tanto, FullMetal Alchemist Brotherhood, uma segunda versão animada do mangá de Hiromu Arakawa terminado recentemente. A história já havia ganhado um anime há alguns anos, mas ao invés de seguirem com a história original do mangá, os produtores resolveram continuar a trama e criarem um novo arco filler e novo final. Não cheguei a ver esta versão de FullMetal produzida em 2001, transmitida pelo Animax e pela RedeTV - sob censura -, e não posso avaliar a qualidade dela, porém, apesar de ouvir falar da trama viajante, o anime conseguiu ótima repercusão, e chegou a ganhar o Anime Grand Prix em 2003, premiação anual da revista Animage. 

A trama de FullMetal Alchemist gira em torno da alquimia. O protagonista Edward Elric e seu irmão Alphonse Elric, após serem abandonados misteriosamente pelo pai, e se tornarem órfãos devido a morte da mãe que tanto amavam, utilizando-se da alquimia, tentam realizar uma transmutação humana e trazer a mãe de volta a vida. No entanto, na alquimia existe uma lei suprema chamada "troca equivalente", que diz que você deve dar algo em troca para algo que queira receber. O resultado foi que, além de não conseguirem reviver a mãe, Edward perdeu seu braço, e seu irmão, Alplhonse, todo o corpo. Para não perder o irmão durante o evento, Edward ofereceu sua perna em troca da alma do irmão que estava sendo tragada para o outro lado do Portão da Alquimia, e assim consegue selá-la dentro de uma armadura. 

Eventualmente, Edward, com um braço e uma perna mecânica (automails), torna-se um Alquimista federal conhecido como o Alquimista de Aço. Ao lado do irmão, que vive dentro de uma armadura, passa a ter como objetivo procurar uma reliquia chamada Pedra Filosofal, para com ela, recobrar seus corpos de volta ao normal.
 

A história básica é esta, e a partir dela, muitos eventos emocionantes permeiam o anime. Diferentemente de outros shonens que abusam demais nas lutas e do protagonista, FullMetal mantém um ótimo equilibio de gêneros: ação, suspense, mistério, militarismo, drama, comédia... Não obstante, o foco, apesar de centrado nos dois irmãos, avança para os outros personagens tornado-os tão interessantes quanto Edward e Alphonse; tanto que meu preferido da série foi o Roy Mustang, o Alquimista das Chamas, um coronel que almeja subir na hierarquia militar. 

O anime possui 64 episódios, e mais um longa que chegará este ano. É um anime com um ritmo muito intenso, os primeiros capítulos são suficientes para satisfazerem o espectador, instigando-os a acompanharem a emocionante jornada do Alquimista de Aço. A trilha sonora, importante em qualquer anime, conseguiu passar muito bem o espirito da história. Segue abaixo minhas duas aberturas preferidas do anime:






Estou assistindo uma leva de animes, em breve, faço novas postagens.

3 comentários:

Felipe disse...

Realmente uma ótima dica! Poucos são os animes que conseguem reunir tantos pontos positivos!

Gostei muito do seu blog Luiz! Já estou seguindo! Siga o meu também.

http://animeitadakimasu.blogspot.com/

Anônimo disse...

A Hiromu Arakawa é mesmo muito boa, mas não gosto tanto de Hero Tales quanto de FMA. Outra mangaká que eu gosto também é a de D. Gray-Man.
É bom ver as mulheres entrando no shounen. rs

Luiz Teodosio disse...

As mulheres estão marcando presença, isso é muito legal. Pena que no caso de D.Gray-man a autora esteja com problema de saúde.=\
Mas FMA é mesmo de arrasar! :D